O rádio não morreu. Ele está se transformando.

Tempo de leitura: 3 minutos

0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

o rádio não morreu. Ele está se transformando

Muitos acreditam que, por causa das novas tecnologias, as antigas não têm mais espaço. Porém, se elas conseguirem se adaptar, podem se tornar um grande sucesso. Esse é caso do rádio. Essa antiga tecnologia já de modernizou e hoje em dia é uma das formas mais escolhidas para ouvir música no meio digital. Isso só pode nos dizer uma coisa: anunciar no rádio ainda é um excelente negócio.

Por muitas vezes, em outras épocas, muitos pensaram que o rádio poderia morrer. Por exemplo, quando a televisão surgiu, muitas pessoas acharam que este meio de comunicação substituiria aquele, mas a verdade é que isso não aconteceu. Cada meio de comunicação cumpre o seu próprio papel e um não substituirá o outro.

Além disso, como o rádio segue se adaptando a cada período da humanidade, hoje podemos ouvi-lo em qualquer lugar. Levamos ele em nossos smartphones e mesmo em regiões do país em que a internet não chega, é possível encontrar um sinal de rádio que funciona muito bem e mantém assim as pessoas informadas.

Veja agora as principais transformações que o rádio sofreu ao longo dos anos aqui no Brasil e os resultados dessas mudanças.

A chegada da TV

O rádio chegou a uma era de ouro no país. Isso aconteceu entre os anos de 1935 e 1955, um momento em que o entretenimento desse veículo de comunicação conseguiu conquistar os ouvintes. Eram radionovelas, programas de auditório, e outros que faziam um grande sucesso entre o público.

Porém, com a chegada da TV, muitos dos atores e atrizes que faziam parte do rádio, foram para a TV. As músicas, que antes eram tocadas ao vivo, passou a ser tocada pelos discos gravados. Frente a esse cenário, as rádios buscaram oferecer mais opções aos ouvintes como informações sobre o país e notícias.

A criação do transistor

A chegada do transistor causou uma verdadeira revolução no mundo do rádio. Essa tecnologia permitiu que o rádio pudesse ser ouvido de diversos lugares, oferecendo maior mobilidade aos ouvintes. O equipamento deu ao rádio uma das mais importantes características que ele possui atualmente: recepção móvel.

Popularização da internet

Esse momento também é descrito como convergência, pois é aqui que as emissoras de rádio precisaram se adaptar e passaram a levar informação e entretenimento em qualquer lugar que os ouvintes estivessem.

Em vez de acabar com esse meio de divulgação como muitos previam — assim como foi com a chegada da TV — mais uma vez, o rádio se adaptou e conseguiu conquistar o seu espaço no meio online.

Mudança AM para FM

Eis aqui uma coisa que nota-se nas mais diversas partes do país: há muito mais opções de rádios FM do que AM. Por que isso aconteceu?

A faixa FM é relativamente recente em comparação à chegada do rádio ao país. Ela começou a funcionar na década de 70. Porém, o processo de migração das rádios AM para FM deu seu início recentemente. As rádios estão realizando essa migração por dois motivos principais: o custo dos equipamentos AM é elevado e a qualidade sonora da faixa FM é melhor.

Como você pode perceber, definitivamente, o rádio não morreu e, de acordo com o seu histórico, ele sobreviverá a diversas outras tecnologias que forem surgindo. O seu grande poder de adaptação permite isso.

Compartilhe este post com seus amigos nas redes sociais e mostre a eles o poder transformador do rádio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *